Série Baseada em True Lies Sendo Negociada; James Cameron no Comando

O criador de sucessos James Cameron pode estar de volta ao mundo das telinhas. Está em negociações uma série baseada no filme True Lies[bb]. A 20th Century Fox e Lightstorm, empresa de Cameron, estão à frente do projeto, que pode acabar nas mãos da Fox.

O divertido filme de 1994 contava no elenco com Jamie Lee Curtis e Arnold Schwarzenegger no seu auge. Sobre um simples homem de família que leva uma vida dupla como um agente secreto. As coisas saem do controle quando um vendedor se passando por espião tenta seduzir sua esposa e ele usa sua influência para recuperá-la.

No cargo de showrunner, aquele que vai meter a mão na massa no dia-a-dia da nova série, Rene Echevarria, que já foi responsável por The 4400[bb] e Castle[bb].

Cameron consegue muitos êxitos na sua carreira, mas isso não é de graça. Literalmente. True Lies já foi o filme mais caro a ser feito, assim como Titanic[bb]. Não podemos esquecer, claro, de Avatar[bb]. Se ele tem grande retorno, é porque investe alto.

Audiovisual de ‘A Torre Negra’ Vai Ser Multiplataforma

Um dos trabalhos mais importantes do cultuado escritor Stephen King vai ser adaptado para imagem em movimento. E, para sustentar a complexidade dos sete volumes de A Torre Negra[bb], algo inédito foi planejado.

A história será contada de forma híbrida, com três filmes e duas temporadas de uma série para TV, intercalados. A ideia é que após o lançamento do primeiro filme, haja uma temporada na TV para conduzir a história ao segundo filme. Depois mais uma temporada e em seguida o final da trilogia.

Para comandar não só o primeiro longa, mas também toda a primeira temporada, está escalado Ron Howard. Ele vai reeditar a parceria com Akiva Goldsman em Uma Mente Brilhante[bb] e O Código da Vinci[bb]. O próprio King vai dar uma mãozinha na produção. Sabe como é, o olho do dono é que engorda o boi.

O acordo, aparentemente difícil de costurar, foi fechado entre a Universal Studios e a NBC. Uma boa notícia não só para os fãs de A Torre Negra, mas também de todos os livros e HQs que frequentemente são assassinados quando mudam de mídia.

Ben e Locke podem reencontrar-se

Calma, Lost acabou. Mesmo.

O que está rolando é que Michael Emerson e Terry O’Quinn, as estrelas por trás dos personagens mais amados e odiados ao mesmo tempo de Lost, estão querendo voltar a trabalhar juntos. Os atores estão em busca de ideias para novos programas em que possam mostrar a sua idade e fragilidade.

Emerson citou que nessa eventual série, se um dos seus personagens levar um murro na cara, que não levante por um mês.

Cheira a um Desperate Housedads.

A TV Cultura subiu no telhado

Há poucos instantes, o blog do jornalista do R7 Daniel Kastro divulgou uma informação que deixou-nos estupefatos. Uma bomba, como o título do post diz. A TV Cultura como a conhecemos está com os dias contados.

O presidente da TV pública, João Sayad, que é ex-secretário municipal de Finanças de Marta Suplicy e ex-secretário estadual de Cultura de José Serra, pretende cortar programas e demitir 1.400 funcionários, o que corresponderia a 80% do pessoal. A ideia é transformar a Cultura numa simples TV estatal, que não produz, apenas compra de produtoras independentes.

Num país que urge de qualidade televisiva, principalmente nas classes em que o alcance da TV aberta permite atingir, sangrar a TV Cultura é sangrar a sociedade. Apesar das infindáveis discussões de TV pública versus TV estatal, de como o governo pode interferir numa rede nesses moldes, o fato é que a Cultura é um exemplo de produção de excelência, e não poderíamos perder esse patrimônio.

Será que nossos filhos vão crescer sem o Rá-Tim-Bum e Confissões de Adolescente? Vamos perder o debate de qualidade no Roda Viva? E o panorama cultural no Metrópolis ou no Vitrine? E o jornalismo? Jornal da Cultura, Cartão Verde.

Vamos torcer para esses planos não irem para frente. Comentem, passem a palavra, mostrem sua insatisfação. Xinguem muito no Twitter.

A TV Cultura caiu do telhado.

(foto: flickr TV Cultura)

Serie live-action de Star Wars em produção

vader2George Lucas espreme Star Wars até a última gota. Depois dos filmes originais, o cineasta já produziu uma nova trilogia, uma série de desenhos tradicionais com curtos episódios, uma série animada em CGI, vários jogos para computador e video-games e agora está produzindo uma série em live-action para a TV. E ao que tudo indica, o programa será filmado na Austrália. Além de ser filmado no citado país, Roteiristas locais serão contratados para colaborar com o projeto. A história da série se passará entre as duas trilogias, contando mais sobre personagens que não foram citados nos longas. O Olhar Leigo só espera que essa laranja volte a dar bom suco.

Spielberg e Noah Wyle em nova série

Noah WyleNoah Wyle, o eterno Dr. Carter de Plantão Médico, vai estrelar a nova série da DreamWorks. O projeto, que ainda não tem nome, vai ser produzido pela empresa de  Steven Spielberg e tem o próprio como produtor executivo.

A série vai retratar o planeta Terra após uma invasão alienígena que quase dizima a raça humana. Wyle vai representar o líder de um grupo que luta contra a ocupação dos ETs.

Wyle e Spielberg reeditam uma parceria, já que o segundo ajudou a tirar do papel Plantão Médico, criada por Michael Crichton. O primeiro todo mundo sabe: ficou no ar quinze anos, até o final da série em Abril deste ano.

Uma outra boa notícia é que o piloto está sendo escrito por Robert Rodat, premiado escritor de O Resgate do Soldado Ryan. Essa combinação promete.