Shame: denso e incômodo

O início de Shame lembra, guardadas as devidas proporções, o de Janela Indiscreta: sem um diálogo sequer, passamos alguns bons minutos conhecendo o protagonista. Alguns poderão sentir um certo incômodo com a escolha do diretor Steve McQueen pelo “silêncio”. No entanto, é de se aplaudir a opção pelo uso das imagens, principal elemento da linguagem cinematográfica, para se comunicar com o espectador. E é com maestria que McQueen usa sua câmera, sempre nos posicionando no lugar certo, seja para comunicar, ou para constranger. Continuar lendo