Perfume de assassino

Perfume: a História de um Assassino

 

O que dizer de um livro que diretores do naipe de Tim Burton , Martin Scorsese e Milos Forman já pensaram (só pensaram) em filmar e que Stanley Kubrick disse ser impossível de fazê-lo? Impossível, certo? Errado.

Coube a Tom Tykwer , de Corra, Lola, Corra a tarefa de traduzir o best-seller do seu compatriota alemão Patrick Süskind para as telas. O resultado é o admirável Perfume: a História de um Assassino

A história do assassino do título é mostrada desde o início, das condições precárias e escatológicas onde nasceu e como ganhou seu dom – um olfato apuradíssimo, sua infância e adolescência miseráveis até virar um assassino em busca da fragância perfeita.

 

Tykwer não só provou que Kubrick estava errado ao fazer o filme, como o fez de maneira belíssima, com poesia escorrendo pelas imagens. O diretor leva-nos a sentir os aromas que os personagens estão sentindo com cenas complexas, sensuais e perfumadas.

 

Ponto ainda para as atuações. O quase desconhecido Ben Whishaw supera as espectativas e constrói um convincente e obcecado protagonista. Alan Rickman também muito bom e Dustin Hoffman como sempre sensacional.

 

Perfume: a História de um Assassino não é apenas isso, é uma história de amor, religião, morte, desejo e por vezes um humor condenável. É uma história que merece ser ouvida e vista e sentida.

 

Ficha técnica

Perfume, a História de um Assassino (Perfume: The Story of a Murderer, 2006)Cinco estrelas
De: Tom Tykwer
Com: Ben Whishaw, Alan Rickman e Dustin Hoffman
[site oficial] [imdb]

 

2 comentários sobre “Perfume de assassino

  1. Caraca, só agora que assisti esse filme. Que obra prima!!! A forma com a qual Tykwer demonstra a sensação do personagem de Dustin Hoffman ao sentir o aroma do primeiro perfume criado por Jean Baptist é de uma poesia sem tamanho. Clássico moderno! Pena que muitos não entenderão o filme e o tacharão de “doido”.

  2. Doido? É um filme impressionante!!! Quando eu li o livro, não imaginei que ele iria para as telonas. Quando assisti o filme, me surpreendi muito!!! Fui no meio das minhas coisas até encontrar o livro novamente. é um filme belissímo e não é doido não, é bem poético, por sinal…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *