Star Trek: vida longa e próspera a Kirk e cia

rating_cincoestrelas

startrekDepois de 007 e Batman, chegou a vez de Star Trek ter um novo começo. O audacioso diretor  com a tarefa de ir onde nenhum homem jamais esteve (em se tratando de reiniciar a série) é o pop-cineasta J.J. Abrams, responsável por, entre outros, Lost. Se depender do resultado dessa película, Star Trek ainda tem uma vida longa e próspera pela frente.

De antemão, confesso que, apesar de nerd declarado, nunca fui fã da série Star Trek (ou Jornada nas Estrelas, se preferir). Achava legal, mas sentia que faltava um pouco mais da aventura e dinamismo que sobravam e me prendiam em Star Wars. Sem medo de errar, Abrams trouxe exatamente esse ingrediente que faltava para me transformar num novo trekker.

A missão do cineasta era um tanto ingrata: agradar a legião de fervorosos fãs do programa (além de 10 filmes produzidos) original e conquistar um novo público. Felizmente, ele alia boa dose de adrenalina para os não iniciados com uma história coerente e envolvente que, provavelmente não agradará a todos, mas certamente reforçará a paixão de muitos fãs de Kirk e cia.

Como a trama trata de um reinício na série, era fundamental, para conter a fúria dos aficionados de plantão, manter a coerência com a cronologia dos programas (sim, foram mais de um) e filmes produzidos até então. Como isso seria dose pra leão, os roteiristas Roberto Orci, Alex Kurtzman (do fraco Transformers) usam o convincente – e coerente com as idéias da franquia – artifício de universo paralelo que permite passar uma borracha no que foi apresentado até aqui.

No entanto, o roteiro apresenta várias referências a acontecimentos (ocorridos ou citados) nas produções anteriores além de vários easter eggs que trarão lágrimas aos olhos dos mais xiitas, além de conceitos de ficção científica que farão babar os amantes do gênero, como buraco negro, matéria vermelha, viagens no tempo, velocidade de dobra e outros. Mas não precisa se preocupar se você não é formado em física: a história central é bastante compreensível e o filme tem ação, aventura e momentos hilários aos baldes. Resumindo, é diversão garantida.

A história, conforme dito nos parágrafos anteriores, narra a formação da tripulação da famosa nave da frota estelar Enterprise. Ficamos sabendo como o fanfarrão Kirk (Chris Pine), o racional Spock (Zachary Quinto, o Sylar do seriado Heroes), o turrão Dr McCoy (Karl Urban), a bela (pelo menos aqui) Uhura (Zoe Saldana), o sereno Sulu (John Cho), o russo Chekov (Anton Yelchin) e Scotty (o engraçadíssimo Simon Pegg) se conheceram. Todos embarcam no vôo inaugural da Enterprise para atender um pedido de socorro do planeta Vulcan, que está sendo atacado pelo romulano Nero (Eric Bana).

Além da boa trama e da dinâmica direção de Abrams, o carismático elenco está excelente em seus papéis – destaque para Zachary Quinto na pele do vulcano Spock – e ao fim da projeção fica a vontade de acompanhá-los numa nova aventura. Contando até com uma participação do Spock original (Leonard Nimoy), para fechar com chave de ouro faltou apenas a icônica música da série original. É por isso que a nota é 4 e 1/2 estrelas. Não tem essa nota? Então vai 5 mesmo. \\// :-D

  • Título original: Star trek, EUA
  • Ano: 2009
  • Direção: J.J. ABRAMS
  • Elenco: CHRIS PINE, ZACHARY QUINTO, SIMON PEGG, ERIC BANA, KARL URBAN, AMANDA GRAYSON, ZOE SALDANA, JOHN CHO, LEONARD NIMOY, ANTON YELCHIN
  • Site oficial: STAR TREK (Inglês)
  • imdb: http://www.imdb.com/title/tt0796366/

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

2 Respostas para Star Trek: vida longa e próspera a Kirk e cia

  1. Leandro 31/05/2009 às 13:40 #

    Na realidade, tocaram sim o tema original da série, apenas no final do filme. Realmente o filme ganhou mais dinamismo, mas não sei se a intenção principal foi querer realmente obter mais fãs, ou se foi para matar as saudades dos que já são da série. Pois há muito tempo, não tinha um filme e nada novo que se referisse a Star Trek.

  2. Renato 06/06/2009 às 12:40 #

    \\//

Deixe uma resposta