Os Melhores Filmes de Todos os Tempos (dos Últimos Dez Anos)

Mais uma lista de melhores filmes de todos os tempos. Mas esta é interessante, eu juro.

A cada dez anos a revista Sight & Sound, do British Film Institute faz uma pesquisa com vários profissionais da área, incluindo críticos, acadêmicos e distribuidores, para escolher a lista dos melhores filmes de todos os tempos. Este ano houve uma grande novidade: pela primeira vez desde que entrou na lista dos dez melhores, Cidadão Kane perdeu o primeiro lugar. Além disso, por causa de uma mudança nas regras, O Poderoso Chefão caiu na lista porque não pôde concorrer junto com suas sequências. Veja a lista:

  1. Um Corpo que Cai (Alfred Hitchcock)
  2. Cidadão Kane (Orson Welles)
  3. Era uma Vez em Tóquio (Yasujiro Ozu)
  4. A Regra do Jogo (Jean Renoir)
  5. Aurora (F.W. Murnau)
  6. 2001 – Uma Odisséia no Espaço (Stanley Kubrick)
  7. Rastros de Ódio (John Ford)
  8. O Homem da Câmera (Dziga Vertov)
  9. A Paixão de Joana d’Arc (Carl Theodor Dreyer)
  10. Oito e Meio (Federico Fellini)

Clique aqui para ver a lista completa.

Testamos Asura’s Wrath e…

Depois de um trailer instigante (apresentando o, a partir daí, famoso Buda Galáctico) com cenas de ação alucinantes, o hype em torno do game Asura’s Wrath crescia a cada nova informação sobre o lançamento da produção. Eu mesmo fiquei super ansioso pelo lançamento do jogo, que aparentemente seria uma versão japonesa do sanguinolento God of War.

Demo baixada, inicio o jogo e… WHAT?!? O jogo, ou melhor, a demo começa com uma jogabilidade estilo After Burner II. O personagem correndo “sozinho” para frente e você só pode movê-lo para os lados e controlar uma mira que é usada para atirar numa versão em miniatura do Buda Galático. Continuar lendo

Olhar Leigo agora tem GAMES


Olá pessoal! O Olhar Leigo passou um tempo “adormecido” e está voltando com algumas novidades para levar mais informação aos nossos leitores e ouvintes (sim, o Leigocast está para voltar também). Alguns projetos ainda estão em fase de discussão e planejamento pela nossa equipe, mas uma das novidades você já pode conferir. Para começo de conversa, como vocês podem ver, o visual do OL está um pouco diferente. Ainda estamos ajustando, em busca de um visual mais simples e dinâmico. Pedimos inclusive o feedback de vocês. A outra novidade diz respeito a conteúdo: O Olhar Leigo agora falará também sobre GAMES!!!

Isso mesmo, além das novidades e reviews do mundo do cinema e das séries, agora essa turma de Leigos também falará sobre os mais variados jogos eletrônicos. Teremos artigos sobre algumas “polêmicas” envolvendo o mundo gamer e também faremos reviews dos jogos que tivermos o prazer (ou desprazer, rs) de jogar.

Para começar, confira o nosso primeiro texto: um review sobre o game Shank. Como sempre, fique a vontade e continue acessando para conferir as novidades. Esperamos que goste.

Olhar Leigo 3.0

Depois de um tempo sumidos, acho que deu pra perceber que estamos voltando, não é? E para celebrar essa nossa volta depois de um tempo parados, nada melhor que um tapa no visual.

Como vocês já perceberam, estamos de layout novo. Dêem suas opiniões, falem com a gente. E mais novidades vêm aí.

Michael Caine explica o final de A Origem – e a minha opinião

Nem preciso dizer que aqui tem spoilers, não é? Se você não assistiu A Origem nem deveria estar lendo isso. Tem outras coisas pelo site. Vai ler o review do filme, por exemplo. Ou ver uns top 5. Mas aqui agora apenas quem já assistiu o filme.

Tá fazendo o quê ainda aí? Vai para o início. Ou senão vai ler um livro[bb]. Depois que você assistir o filme você volta aqui, ok?

Bom, agora que nos livramos de estragar o filme de alguém, vamos à notícia.

Michael Caine[bb], que interpreta o sogro do personagem de Leonardo DiCaprio[bb] em A Origem, deu uma entrevista em que explicou o final do filme.

Muita gente fica se perguntando se o objeto, o totem, caiu ou não. Sir Caine foi enfático: sim, caiu. Segundo o veterano ator, o diretor Christopher Nolan reúne-se com seu staff antes de cada produção para falar sobre o filme e deu o serviço. E o fato de seu personagem aparecer por si só seria um indicativo de que a parte final é a realidade, já que ele próprio nunca aparece nos sonhos.

Se seu inglês, sua soberba e seu humor ácido britânicos estiverem em dia, clique aqui e ouça a entrevista. A partir de uma hora e 45 minutos eles tocam no assunto.

Agora a minha opinião. Eu também acho que o totem cai. Porém, repito, na minha opinião, todo o filme é um sonho. E dentro da realidade daquele sonho, o objeto cai. Passaria a não cair a partir daquele nível de sonho. Baseio-me nos seguintes fatos:

  • Toda a suposta “realidade” acontece muito fácil. Cobb (DiCaprio) arranja um trabalho, consegue uma arquiteta (que, apesar de estudar em Paris, fala inglês de cara), investiga a vida do sujeito, executa o serviço e, quando chega em casa, tudo está uma maravilha, até seu sogro o espera no aeroporto, como se nada tivesse acontecido, tudo muito idealizado. Não é coerente com a complexidade do resto do filme, os sonhos.
  • Muitas dicas são dadas de que a realidade é o sonho de Cobb. O homem no porão de Yusuf diz ao personagem principal: “O sonho se tornou a realidade deles. Quem é você para dizer o contrário?” Em outro momento, a fuga de Cobb passa por ele apertado entre dois prédios. Algo comum em sonhos. Outro tema recorrente em sonhos é estar em um lugar, de repente estar em outro. Os personagens estão num lugar, de repente Quênia, de repente Paris… Além de tudo isso, o filme começa num ritmo alucinante, sem entendermos como fomos parar ali. Cobb, ao falar a Ariadne (Ellen Page), ele diz que não saber como chegou ali é uma característica de sonho.
  • Nem se toca no assunto do totem de Cobb, ele usa o que era da sua esposa.

De qualquer maneira, a melhor pergunta que se pode fazer sobre o assunto é a seguinte: